sábado, 16 de fevereiro de 2013

Popularização do MMA faz aumentar a procura por um fetiche relativo ao tatame: Gay Fighting

gay bdsm fightingNovidade nenhuma imaginar que combate corpo-a-corpo entre homossexuais seria erótico e excitante no sentido literal da palavra. O avanço da internet está facilitando cada vez mais encontrarmos parceiros para atividades pouco conhecidas ou divulgadas. Uma atividade que está crescendo de maneira bem expressiva na Europa, América do Norte e Ásia é a luta Erótica ou Gay Fighting. Há várias modalidades de combate corpo-a-corpo usadas com propósito erótico e sexual, as mais conhecidas são luta greco-romana, wrestling, boxe, jiu-jitsu  e artes marciais mistas, mais conhecidas pela sigla em inglês (MMA).

Nos combates, há a necessidade de dominação ou rendição de um dos participantes, o vencedor pode escolher como prêmio sexo pós-luta da maneira que ele estipular, o perdedor terá que se submeter aos desejos do vencedor. Há a situação que o vencedor opta por não querer sexo com o perdedor, apenas submetê-lo a tortura, humilhação  e submissão. O grande diferencial desse fetiche é que a cópula não é o prêmio, e sim ter o oponente sob suas vontades.

Na maioria dos casos, as lutas são excessivamente agressivas e violentas. Os lutadores estipulam suas predileções para o combate e o desafiante escolhe de acordo com a severidade dos golpes que podem ser infringidos. São muito comuns socos bem agressivos na boca do estômago, rosto, chaves de pescoço, braço e pernas que só são paradas quando o oponente pede a rendição e aceita a derrota. O juiz pode determinar se o oponente está lutando para ganhar ou está com intenção de ser derrotado. Caso isso aconteça, ele será desclassificado podendo nem participar novamente dos torneios.

Existe tantos fatores sedutores e fetichistas nestes combates _desde os uniformes até o estereótipo másculo suado e com cheiro de vestiário de clube de futebol_ que a testosterona da arena contagia a todos. Raramente alguém está excitado no momento da luta. Nem todos combates são públicos, já existem vários perfis em sites de relacionamento gays (www.recon.com é um deles) direcionados para FIGHTING privados, onde o contexto sexual é bem mais explícito podendo ocorrer, de acordo com os participantes, lutas nus ou semi-nus, de saqueiras (jocks) ou uniformizados. Sempre são pré-acordadas regras e punições.

A maioria dos praticantes ainda prefere combates dentro de casa, na Europa e América do Norte muitos já fazem de um de seus cômodos um pequeno ringue, mas já estamos começando a ter arenas gays com combates e algumas com a punição pós-combate públicos.

Aqui no Brasil ainda estamos engatinhando em relação a essa abertura. Alguns demonstram interesse em luta comentando o fato em perfis de relacionamento. No site Recon você tem a opção de colocar FIGHTING como principal interesse, isso faz com que você se conecte ao site já na sala dos interessados em lutas, em qualquer cidade que entrar. Em outros sites, você pode usar do artifício de colocar seu interesse no nick ou na sua descrição, isso facilitará encontrar pessoas com mesmo interesse. Se for conversar com alguém de fora, lembre-se de deixar claro quando é iniciante para evitar levar uma surra violenta muito acima do que você imagina. Para os ineressados e já praticantes de combates corpo-a-corpo que costumam viajar para o exterior, toda quarta sexta-feira do mês, na cidade de Manchester (Inglaterra), acontece no “Manchester Evening News Arena (que é arena GAY coberta mais movimentado do mundo), o festival mais movimentado de Gay Fighting chamado “UP NORTH”. Acredito que lá apenas aconteçam os combates, mas é onde se encontram os gays interessados no assunto. Em São Francisco (EUA) há um local chamado EAGLE TAVERN onde os adeptos e interessados em FIGHTING costumam se encontrar. Em Nova York tem um local chamado NON_KINK ARENA onde alguns gays enrustidos competem nas lutas, mas não é uma arena gay propriamente dita.

fonte: MixBrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...